Speedmeter v2.0

Descrição técnica

Introdução

A ferramenta Speedmeter aqui disponibilizada pela FCCN permite aos utilizadores da Internet verificarem a largura de banda disponível num determinado momento entre um computador e o servidor do Speedmeter instalado na sala técnica da FCCN, num ponto estratégico de rede, com alta disponibilidade e largura de banda.

 

Arquitectura Speedmeter

 

O teste começa com o acesso do utilizador ao site do speedmeter (http://speedmeter.fccn.pt). Após o utilizador clicar no botão iniciar são efectuados os seguintes procedimentos:

  1. Estabilização das ligações ao servidor para evitar picos de tráfego
  2. Teste de download
  3. Teste Ping
  4. Teste de upload

O teste de download consiste em transferir um conjundo de dados, gerados de forma aleatória, do servidor, com ligação de alto débito, para o computador do utilizador.

O teste de ping, ou latência, consiste em efectuar o envio e recepção de mensagens e verificar os tempos de resposta.

O teste de upload consiste em transferir um conjundo de dados, gerados de forma aleatória, para servidor, com ligação de alto débito, do computador do utilizador.

O GigaPIX é um ponto central na rede de alto débito, que interliga os operadores e a FCCN, por forma a obter melhor qualidade na interligação das redes IP presentes em Portugal e evitar a utilização de recursos internacionais para trânsito de pacotes IP com origem e destino em Portugal.

 

Requisitos

Para efectuar os testes do Speedmeter, é necessário verificar que possui na firewall, permissão a saída de tráfego nos portos tcp 80, 443, 843 e 8080 .

É necessário verificar que possui um browser com o plugin de Flash instalado e que pode ser descarregado aqui.

Os testes são realizados em IPv6 caso o utilizador possua um válido, caso contrário em IPv4.

 

Factores que influenciam o resultado

Antes de iniciar o teste do Speedmeter deverá ser suspensa toda a actividade de rede pela ligação que se pretende avaliar e garantir que o computador que está a realizar o teste não esteja a executar software que comprometa o débito ou o processamento.

Um outro factor relevante é a taxa de contenção, que estão presentes nas ligações domésticas de ADSL e de cabo. Este número especifica a quantidade máxima de utilizadores, entre os quais o circuito poderá ser partilhado.

De notar que os operadores de internet comercializam débitos em "bps" (bits por segundo) ao nível da ligação física. Dado que os testes do Speedmeter são realizados ao nível da aplicação, existe um conjunto de "overheads" introduzidos pelas diversas camadas da pilha IP. Os dados resultantes no Speedmeter apresentam assim, o débito útil da ligação IP entre o browser e o servidor presente na FCCN e não o débito físico real da linha. Dada a grande diversidade de tecnologias de ligação e de transporte, não é viável a inclusão automática destes "overheads" no sistema de cálculo.

 
Fundao para a Computao Cientifica Nacional
Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior
© 2009-2016 - FCCN - Todos os Direitos
Reservados. Termos Legais